Ativos proibidos na gravidez

Olá esteticistas, hoje iremos falar sobre o uso de ativos cosméticos na gravidez.
Todos necessitamos de cuidados com o corpo e com a aparência, as gestantes não fogem dessa regra, necessitando de cuidados especiais para evitar ou amenizar distúrbios cutâneos relacionados às mudanças hormonais comuns na gravidez. Atualmente muitos cosméticos deixaram de ter ação meramente superficial, e passaram a agir mais profundamente, na derme, apresentando em alguns casos absorção sistêmica. Essa penetração e posterior absorção podem induzir atividades fisiológicas. No caso de gestantes deve-se pensar nas possíveis manifestações que podem afetar, de alguma forma, o bebê e o período gestacional.
Para os cuidados da pele da gestante existem situações que merecem atenção especial, como os distúrbios de pigmentação (cloasma), do tecido conectivo (estrias), dos pelos e unhas, bem como a acne na gravidez, problemas que exigem produtos bem formulados e com eficácia assegurada. A escolha dos melhores ingredientes para a composição de formulações cosméticas deve levar em conta também o aumento do fluxo sanguíneo em diferentes regiões do corpo da gestante, que pode ocasionar o aumento da absorção sistêmica destes ingredientes. 

Quando se fala em segurança o importante é sempre levar em conta a relação risco-benefício. Existe uma dificuldade em se afirmar o que é totalmente seguro e o que pode causar algum prejuízo para a mulher ou para o bebê, já que a quase totalidade dos ativos cosméticos e demais ingredientes não apresenta segurança definida para uso em gestantes – até pela dificuldade em se produzir este tipo de teste ou muitas vezes pela legislação de cada país.

Através de evidências científicas sabemos que alguns componentes realmente podem causar danos à saúde da mulher e do bebê, como é o caso de alguns filtros solares, tinturas capilares e derivados minerais, dentre outros e como quase nenhum cosmético é testado em grávidas, elas estão proibidas de usar uma série de substâncias.

Esta tabela foi criada pela FDA, órgão americano que regulamenta os medicamentos nos Estados Unidos, e é baseada em estudos científicos, e apontam as substâncias que podem ser prejudiciais para a saúde do feto.


Confira a lista dos ativos PROIBIDOS:

Ureia: Um dos hidrantes mais comuns em cosméticos, não deve ser usado por gestantes porque penetra nas camadas mais profundas da pele e pode atravessar a placenta, podendo causar danos ao bebê. 
Recentemente, a Anvisa proibiu os produtos com mais de 10% de ureia. Os produtos da Buona Vita que possuem ureia em sua composição tem esse ativo somente a 2%, o que o torna seguro para uso em gestantes. 

Parabenos: Encontrados em cremes, xampus, condicionadores, hidratantes e na maioria dos cosméticos, os conservantes parabenos apresentam propriedades estrogênicas, ou seja, comportam-se como se fossem o estrogênio, um hormônio feminino. Podem ser identificados na formulação dos cosméticos e desodorantes com diversas nomenclaturas: Parabenos, Methylparaben, Ethylparaben, Propylparaben e Butylparaben. 

Formol: Alguns tipos de conservantes produzem e liberam formol na pele. Além da conhecida toxicidade do formol, estudo realizado no Departamento de Dermatologia da Universidade de Debrecen, na Hungria, publicado no Experimental Dermatology, (maio de 2004), revelou que o formol pode contribuir para o aparecimento de câncer, induzido pela radiação solar ultravioleta do sol. O consumidor pode se proteger observando cuidadosamente os rótulos das embalagens, procurando pelas seguintes nomenclaturas: quaternium-15, diazolidinil hora, imidazolinil ureia e DMDEM hidantoina. 

Propilenoglicol: Pode desencadear alergias e irritações. Para saber se o cosmético contém essa substância na composição, verifique a palavra propylene glycol no rótulo da embalagem. 

Corantes e essências artificiais: Podem causar alergias as pessoas mais sensíveis. Já existe cosmético sem corantes e sem essências, ou perfumados com extratos de óleos essenciais. Fique sempre de olho nos rótulos dos cosméticos! 

Benzofenomas e derivados de cânfora: Encontradas nos filtros solares, têm a capacidade de imitar o hormônio feminino estrogênio. O uso contínuo pode causar desequilíbrios hormonais e aumentar o risco de doenças, como o câncer. Evite produtos com benzophenone e 3 (4-Methyl-benzylidene). OS Filtros solares da Buona Vita não possuem substâncias nocivas em sua composição, sendo seguros para o uso em gestantes. 

Por isso, prefira cosméticos que sejam livre de testes em animais, com os ativos e a concentração de cada um, bem como sobre a ausência de substâncias sensibilizantes, como as Bases Biocompatíveis, que contém óleos vegetais ricos em ômegas 3, 6 e 9, sendo importantes para garantir a segurança e eficácia dos cosméticos, pois estão entre os fatores que influenciam a carreação e penetração dos ativos na pele.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.